Cresce número de pessoas cruzando fronteiras na América Central em busca de refúgio

O deslocamento forçado da América Central está sobrecarregando a capacidade de asilo em toda a região, colocando um número crescente de indivíduos e famílias em grave risco. O cenário cria situações que nenhum país pode abordar sozinho.

Segundo a Agência das Nações Unidas para Refugiados, Acnur, a violência e perseguição de grupos poderosos em partes da América Central, juntamente com uma crise social e política na Nicarágua, estão levando um número crescente de pessoas a cruzarem as fronteiras em busca de refúgio seguro.

Muitos migrantes estão se candidatando a asilo no México. , by Unicef/Adriana Zehbrauskas

Pedidos de Asilo

Dados da agência indicam que somente este ano, mais de 593 mil requerentes de asilo e migrantes chegaram à fronteira sul dos EUA com o México, país que registrou um aumento de 196% nos pedidos de asilo.

Devido a essa situação, o Acnur pede uma reunião urgente de Estados na região para mapear ações coordenadas para enfrentar este desafio crescente de deslocamento de maneira efetiva e sustentável, priorizando a proteção de vidas e fronteiras bem administradas.

Ações

A agência destaca que com base nas práticas de sucesso existentes uma abordagem regional precisa incluir a expansão da capacidade de recepção e infraestruturas de asilo, assim como o apoio coletivo aos programas de integração local.

O Acnur acrescenta que é preciso promover a ampliação do reassentamento dentro e fora da região e medidas para o retorno seguro e digno de pessoas que não precisam de proteção internacional.

Para a agência das Nações Unidas para Refugiados, também é necessária uma ação regional coordenada para abordar os fenômenos de deslocamento interno antes que eles se tornem fluxos de refugiados. É preciso incluir iniciativas robustas de desenvolvimento que abordem os impulsionadores subjacentes da violência e do deslocamento.

Em relação a isso, o Acnur diz apoiar o Plano de Desenvolvimento Geral entre o México e os países do norte da América Central, atualmente em negociação.

 

Source: Nações Unidas (UN) / . The content of this article does not necessarily reflect the views or opinion of Global Diaspora News (www.GlobalDiasporaNews.com).